quinta-feira, 1 de março de 2012

Swadhyaya


Perceber aquilo que consome nosso tempo e nossas preocupações pode ser uma maneira de vivermos de forma mais equilibrada.
Tudo depende de uma boa porção de auto-conhecimento e aceitação para ser coerente com os próprios desejos, necessidades e fraquezas.
Fato é que quando a gente consegue se equilibrar e encontrar a quantidade ideal, tudo flui: o coração bate mais forte, as flores brotam, o corpo fica forte e saudável e nos sentimos felizes por balancear a vida profissional e pessoal.
Mas a rotina, que levamos com tantos excessos (de informação, de demanda, de coisas pra fazer...) como é que sabemos se estamos, de fato, priorizando o que importa e a quem realmente amamos? Perceber aquilo que consome nosso tempo e nossas preocupações pode ser uma ótima maneira de vivermos de forma mais equilibrada, mais regrada.
Sabe aquela sensação de que estamos prestes a transbordar? Não deixe chegar a esse ponto.
Desenvolva a sua espiritualidade!
A energia divina é a fonte de vida. Se você não tiver energia, não tem força. Você fica desequilibrado. A razão de nossa vida é desenvolver a espiritualidade. Não é viver mais, não é ser mais feliz. Se não tiver espiritualidade, não haverá vitalidade. Por isso, o objetivo de cada um de nós tem que ser atingi-la. E a espiritualidade da qual falo não é uma coisa abstrata, uma crença. É você prestar atenção em você, na natureza, nas pessoas. Isso nos ajuda a ter uma consciência maior e mais profunda, para que possamos entrar mais fundo neste Universo. Em yoga este prestar atenção em você usa-se o termo Swadhyaya. Swadhyaya é o princípio yogue que está relacionado ao intelecto.
São duas as interpretações: o estudo das escrituras sagradas e o estudo de si mesmo.
Quem pratica Swadhyaya chega a conhecer seu próprio modo de vida. Sabe orientar-se e reconduzir-se quando se desvia do caminho traçado. Acredita que toda a criação é divina, que ele próprio é uma parcela da divindade, sendo a sua energia, a mesma que move o Universo.

Através do estudo dos textos sagrados, absorve os conhecimentos que o tornarão capaz de melhor avaliar a si mesmo. O conhecimento evitará que caia em armadilhas. Para alcançar a meta, é preciso ter uma retaguarda segura e ampla como primeiro passo, e depois refletir e ponderar sobre os problemas mais profundos no seu aspecto intelectual, sendo que essa reflexão prepara a mente para a recepção do verdadeiro conhecimento que vem do íntimo. Não é difícil, basta querer. Nem mesmo precisa ser yogue para isso. Vamos tentar?
Yatna, seja bom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário