quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A felicidade de caminhar



Os tempos difíceis ainda irão continuar a saúde de minha mãe ainda esta frágil, mas isto é com os médicos, eu cuido da vida e passei a assumir responsabilidades que a principio me deixaram assustada... mudanças, nunca gostei delas...mas o que tenho percebido de uns tempos pra cá, é que tenho achado lúdico, agradável, cumprir o meu dever, as coisas que faço porque tenho que fazer, e isso é curioso. Depois de reler a Gita a minha mente criou algum mecanismo de defesa contra pressões, tomando como agradável qualquer coisa necessária e simplesmente atingi um estado zen de achar que a vida está ótima quando sei que poderia ser bem pior,ou quem sabe, é simplesmente uma questão de maturidade?!De entregar e confiar.
Aos vinte e poucos anos, eu vivia com pressa, querendo melhorar as minhas coisas e mudar o mundo pra me adaptar dentro dele ou fazê-lo encaixar-se no meu ideal. E agora, me divirto com coisas que antes eu acharia absolutamente insossas e cumpro deveres com aquele tipo de pensamento…”se eu não tivesse dever nenhum, que vida horrível ia ser”.
Tenho minha saúde física e mental apesar das buraqueiras existenciais que já experimentei e isso conta. E isso pode ser o que falta para se dar valor às coisas. Ou não. Vai saber?
Então, vejo o que é necessário fazer para manter a vida funcionando e faço, escrever como dever, ler, trabalhar, ganhar a vida, cuidar de familiares mais velhos ou mais novos (e bichinhos de estimação ) e abri mão de algumas ambições.
Ter desafios e problemas fazem parte do caminho e se não houver essas coisas, nos acomodamos numa falsa segurança que, após um tempo maior ou menor, virará prisão. E dentro da redoma de vidro ninguém cresce e sem crescer ninguém fica independente financeiramente, emocionalmente, psicologicamente ou qualquer outro “mente”.
Enfim, as coisas fluem e ao mesmo tempo têm que passar.
Alguém disse que a felicidade não deve ser o objetivo e sim a graça de caminhar. E acredito que é isso mesmo.
Yatna, seja bom!
Yatna, seja bom!Yoga, ioga indaiatuba

Nenhum comentário:

Postar um comentário