quarta-feira, 31 de agosto de 2011

É novamente Setembro




Com ele o sol, a brisa suave, as flores desabrochando e novas expectativas pra mim, pra você, para todos nós. E a certeza de que tudo é transitório e se renova. Ciclos. Momento de aceitar que tudo é vida e que podem nos trazer coisas boas. Não me refiro às coisas grandiosas, mas nas pequenas satisfações diárias que insistimos em não valorizar e que podem passar sem serem notadas, que podem se constituir em luxo para os menos favorecidos como uma cama quentinha no inverno, um café recém passado e fumegante com um cheirinho convidativo, um pão saído do forno, o calor de um abraço, um chá ou um bolo de chocolate feito com carinho para ou por pessoas que amamos.
A chuva pode ser ruim, como tudo que for em exagero, mas na medida certa é indispensável para fazer brotar a vida.
Na primavera o sol parece ser na medida certa. Nem escasso nem escaldante como no verão. Suficientemente quente e iluminado possibilitando que seus raios destaquem as diferentes nuances do colorido das flores. Seus raios se refletem no brilho do olhar das pessoas tornando o sorriso e a vida mais iluminada.
Setembro tem sabor de recomeço, de coisa nova, de despertar e, sobretudo de esperança e alegria. Não só para as pessoas. Também para a natureza que se enfeita e comemora todo o espetáculo da vida.
Andorinhas no céu.
Me lembro de uma série de prazeres que desejo me proporcionar. São metas estabelecidas que por ter escolhido outras prioridades ainda não pude atingir. O importante é não se sobrecarregar. Saber fazer cada coisa há seu tempo.
Neste momento estou refazendo rotas, redefinindo objetivos para fazer tudo que me propus, com correção e alegria conto com o auxilio de Ganesha, este mês é seu aniversário, é um mês auspicioso para recomeços positivos e também para nos colocarmos dentro do caminho da mudança.Não é necessário pressa. Para tudo há o momento certo. Observe a natureza, ela lhe ensina a amar sem cobrar, ela lhe ensina os ciclos de criação e transmutação da vida, ela lhe ensina a plantar, regar, cuidar, e também a colher, a conservar, preservar e respeitar, a viver conforme as leis da vida e do universo. É um momento de observação, reflexão e tranquilidade que me faz mais uma vez ter a exata sensação de que tenho muito a agradecer.
Yatna, seja bom!
yoga indaiatuba

Nenhum comentário:

Postar um comentário